sexta-feira, 30 de março de 2012

Coincidências: Um telefonema pode mudar sua vida (Parte 1)



Ela passou o dia no salão de beleza. Fez tudo o que uma rainha merece. Ficou linda. Ao chegar em casa terminou de preparar o jantar, arrumou a mesa, preparou o gelo para o champagne, colocou uma música e foi se arrumar. O vestido lindo em seda vermelha desceu perfeitamente em seu corpo esguio e atlético. Retocou a maquiagem e enquanto esperava seu amado bebericava um Martini. A noite prometia. Ela esperou por tanto tempo esse momento. Seria uma noite perfeita e mágica. Tocou uma música, duas e nada. Nem lembra mais quantas vezes olhou pelo olho mágico da porta na esperança que Carlos estivesse do outro lado. Sentou para esperar, já estava tudo pronto e seu amado provavelmente tivera algum imprevisto. Dormiu. Quando acordou já passavam de duas horas da manhã. A lua ainda brilhava no alpendre da varanda, as velas se apagaram, no balde de gelo sobrou apenas água  e o jantar estava frio em cima da mesa.
Ele não veio. Outra vez, combinou e não veio. Sempre tinha uma desculpa para suas ausências. Mas, agora ele deu sua palavra. Não conteve as lágrimas e chorou. Olhou para o telefone e não resistiu. Ligou para ele. Sua voz estava sonolenta, mas ela estava zangada demais para bom senso. Ela falou, reclamou e contou de tudo o que fizera para esperá-lo e de como estava se sentindo. Do outro lado, silêncio e ela continuou: – Vamos responda, diga alguma coisa, covarde?
Mas alguns segundos e ele respondeu:
– Não sou Carlos, se fosse estaria contigo! Não te faria chorar! Sou Vítor.
Ela secou as lágrimas, pediu desculpas e nem deu tempo pra que o estranho respondesse algo. Desligou!
Tomou mais uma dose de Martini e foi se deitar do jeito que estava.
Pela manhã lembrou-se da frustração que sofrera na noite anterior. Andou pela casa, tomou um café sem açúcar, mas não estava deprimida como nas outras decepções que já sofrera, agora estava diferente. Lembrava da voz de Vítor e seu rosto corava. A frase de Vítor: "Não te faria chorar" martelava em sua cabeça e às vezes um frio lhe corria pelo corpo. Não quis sair, arrumou toda a casa e ficou deitada. Não queria fazer nada!
Estava anoitecendo quando o telefone tocou. Não queria falar com Carlos nunca mais!  O telefone insistiu e ela atendeu em silêncio. Não era a voz de Carlos:
– Não resisti, só liguei para saber se você está bem!
Era Vítor.  Sentiu vontade desligar, mas aquela voz a convidava a ouvir mais.
Ela desculpou-se novamente pelo telefonema na noite anterior. Ele disse que não era necessário pedir desculpas e também contou que não conseguiu tirá-la da cabeça um só minuto.
Conversaram horas, trocaram emails e ele pediu para ligar outras vezes.
Ficaram amigos, durante meses conversaram todos os dias. Até que ele a convidou para uma festa. Hesitou um pouco, mas aceitou. Afinal, Carlos já era página virada. Ele nunca mais a procurou.
Na noite do encontro ela esperava ansiosa, dessa vez parece que nenhuma roupa lhe caia bem. Depois de muitas peças experimentadas decidiu por um vestido verde esmeralda combinando com seus olhos. Fez uma maquiagem discreta e bebericou uma dose de Martini para relaxar. A campanhia tocou, ela abriu a porta e ficou extasiada... (continua no  próximo post)






7 comentários:

Turquezza disse...

Ai ai ai, suspense rsrsrsr Adoro!
Beijos.

✿ chica disse...

Que legal!Adorei e quero acompanhar!beijos,chica

Arnoldo Pimentel disse...

Está muito bom o conto, caminhos que se abrem a nossa frente.Aguardando para ler o restante.Beijos.

Anne Lieri disse...

Edilene,estou gostando de ver!Um conto romantico e de suspense,adorei!É isso aí, tem que mostrar pra gente as coisas que escreve!Parabéns e adorei o comentario do João em rimas: que fofinho!Bjs,

Arnoldo Pimentel disse...

Bom dia Edilene, obrigado pelas palavras no conto no blog do Gambiarra Profana, palavras assim só dão força para continuar meu caminho na poesia.Beijos

Milena Matos do Amaral disse...

Adoro seus rabiscos sabia rs?E esse romântico então nem se fala(sou romântica incorrigível!).Obrigada por sua visita e fiquei feliz ao saber que seu filho leu minha estorinha.Vc escreve muito bem,e vejo que esse rabisco está se transformando em um romance :).Vou compartilhar no Fb.Até breve sempre!

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia!
Gostei!
Vou ter que aguardar!
Suspense!Romance!
Será que vai mudar toda a vida?
Bom domingo!
Beijos!