quarta-feira, 6 de junho de 2012

A Paulista e seu cantor - Parte l


Ela o conheceu no palco, em uma festa de rodeio. Nesse dia ele era o cantor. Ela não era fã, mas a música era boa e ficou por ali com uma família da amigos. Quando a menina, filha do casal que a acompanhava começou a escalar o palco de madeira que deveria ter uns dois metros. Ela, a mais jovem do grupo se prontificou em ir atrás da moleca que já estava alcançando o palco. Ela foi atrás e estava com o coração na boca, o cantor certamente daria um sinal aos seguranças e a mandaria tirá-las de lá. Seria um mico! Mas, no entanto, de repente viu uma mão estendida, era o cantor: _ Fica aqui Paulista, se ajeita por aí com a guria! A casa é nossa! 
As duas se acomodaram discretamente no palco e naquele momento o cantor passou ser seu ídolo. Nunca ouvira voz tão linda e o dedilhar daquela viola provocava incríveis sensações em seu corpo. Terminando o show, tirou foto com seu novo ídolo, pediu autógrafo e conversaram um pouco sobre as artes da menina de 5 anos que ela nem lembrava mais que estava a segurando pela mão. Ficou fissurada pelo olhar do cantor.
Já estava saindo da adolescência para ter um amor platônico por um artista inacessível, era um absurdo o que estava sentindo! Mesmo assim sonhava como uma menina imatura. Agora era a fã número 1 do cantor: Acompanhava agenda, comprava CD, camisetas, canecas e colava posteres no quarto todo. Entrou num curso de dança e em seus sonhos mais loucos se imaginava dançando com aquele seu cantor. As amigas achavam engraçado e até debochavam de sua fissura.
O destino, porém, lhe reservara uma surpresa. Numa viagem ao Pantanal, em um hotel fazenda, ela por acaso encontrou novamente seu cantor. Havia saído para fotografar e de longe o avistou sentado num barco. Esqueceu os perigos e até a beleza do lugar e a distância, como que hipnotizada só via a silhueta de seu cantor. Ficou muito tempo ali apenas olhando, parecia ouvir apenas seu coração, batendo desigual. Horas depois ele chegou à margem e a cumprimentou com naturalidade: 
_ E aí, Paulista?! Veio conhecer o Pantanal? 
Sua face ruborizou, seu corpo estremeceu e encheu-se de vaidade: Meu Deus, ele ainda lembrava dela desde o   show. Ele a chamou de Paulista novamente! Conversaram um pouco e foram caminhando até o hotel. Ela estava no céu. Era a viagem de sua vida!
Almoçaram juntos no hotel e depois se despediram, cada um para o seu quarto descansar da caminhada longa.
Nessa noite teria uma seresta de violeiros da região nesse hotel, seu cantor com certeza estaria lá. Se arrumou toda, fez uma maquiagem discreta, colocou um vestido que deixava bem feminina e foi para o local indicado. Entre modas de viola e poesias românticas sentiu se abraçada pelas costas, mal pode reagir quando ouviu a voz rouca de seu cantor: 
_Dança comigo essa noite toda, Paulista?
As colegas do curso de dança não acreditariam, isso se ela não tivesse antes pedido para uma amiga tirar todas as fotos possíveis. Dançaram, conversaram, beberam vinho,dançaram, conversaram, beberam vinho
 e ... ( Continua no próximo post)

8 comentários:

✿ chica disse...

Eita!!!A Paulista vai se dar bem,srrs Lindo conto! Vamos aguardar pra ver mais! beijos,chica

M.Cecilia Flor. disse...

Obaaa vai pegar fogo esta paquera.Estou anciosa para continuação..Sucesso.Bjus\Flor.

Ana Bailune disse...

Quem nunca teve um ídolo? Sua história lembrou-me dos tempos em que eu era uma fã tão roxa do Queen , que até sonhava com eles! Adorei...

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia!
..pelo que li...ela não tinha paixão platônica pelo cantor antes do show...menos mal...a paixão nasceu por uma figura de carne e osso...se é que vc vai me entender!
Vamos aguardar...
Bom final de semana!
Beijos

Meu Jardim disse...

Lindo!!!
Amei seu blog amada =)
Parabéns pela sua arte.
Deus te abençoe sempre.
Um grande,
Lu.

Anne Lieri disse...

Não vale...rss...parou na melhor parte!...rsss...estou encantada com seu conto e aguardo o proximo capitulo!bjs e meu carinho,

Lílian Almeida disse...

ai gente, tô pinicando de curiosidade,kkkk!
Que conto bom , Di ! Show, como sempre.
Beijão, e me avisa quando postar o seguinte , tá , aguardo ansiosa !

Milena Matos do Amaral disse...

Oi Edilene,tinha lido o final e vim ler o início rs.Beijos querida e até!!!